4 horas para se tornar um expert em vinhos!

Tempo de leitura: 3 minutos

Encontramos na Universidade de Sidney, Austrália, o Dr Alex Russell, que compilou de forma clara e concisa 10 dicas para que uma pessoa se torne um expert em vinhos. Baseados na reportagem do site da universidade remontamos nesse post o caminho para fazer bonito na hora da degustação.

1 – 4 horas são o mínimo de dedicação

Em 90 minutos as pessoas começam a melhorar sua percepção e 4 horas foram consideradas suficientes para que comecem a de fato entender o que está sendo degustado.

Degustações rápidas, de uma hora ou menos, são pouco efetivas para construir sua base de comparação.

2 – Prove diferentes tipos de vinho

“Ninguém se torna um expert tomando apenas seu vinho favorito”.

Experimente tipos, uvas e regiões diferentes. Degustações podem ser feitas aleatoriamente ou direcionadas, como por exemplo degustação vertical – diversas safras de um mesmo vinho – ou horizontal – diversos produtores de uma mesma uva ou safra.

3 – Prove vinhos lado a lado

A comparação ajuda muito no começo. É difícil lembrar detalhes do vinho tomado semana passada, mas tendo mais de um tipo em sua frente, essa memória vai sendo construída aos poucos.

4 – Feche os olhos!

Russell diz que a melhor qualidade de um bom degustador é a capacidade de nomear um aroma. Conhecendo o cheiro de alimentos, frutas e flores isoladamente, fica muito mais fácil identificá-las nos vinhos. Passeie por sua despensa e cheire tudo! Vamos facilitar colocando a lista dos descritivos mais comumente encontrados no próximo post.

5 – No caso de dúvida, adicione seus sabores e aromas

Russell sugere que se você tiver dificuldade de reconhecer certo sabor em um vinho (que alguém já te afirmou que existe), adicione esse sabor artificialmente. Por exemplo, para sentir pêssego em um Chardonnay, coloque um pouco da calda do pêssego em conserva na taça. Isso mostrará o efeito do aroma no vinho. Retirando esse aditivo aos poucos, você vai reconhecer mais facilmente quando um vinho tiver aromas de pêssego!

6 – Conheça a linguagem

A grande diferença entre experts e novatos é a linguagem. Aprenda como os aromas são descritos e utilize nomes reconhecidos.

7 – Não se preocupe se você não tiver um super-nariz

A maior parte dos narizes é igual. A diferença é que os experts processam a informação mas rapidamente. Qualquer pessoa é capaz de ganhar um torneio de xadrez. Basta praticar!

8 – Comece com vinhos mais baratos, mas não se prenda a eles

Preço não é um indicativo de qualidade, mas os vinhos mais em conta podem ser mais simples e diretos em seus aromas. Vinhos mais caros tendem a expressar melhor sua região e apresentarem características mais complexas no nariz e na boca.

9 – Além de provar, leia

Experts devem saber não só degustar, mas conhecer viticultura e características de regiões e uvas.

10 – Não desista se cometer erros

Russell diz que muitas pessoas preferem não degustar por medo de erros. Mas degustar é um exercício subjetivo muito divertido, se feito sem pretensões.

Um experimento na França colocou abaixo diversos sommeliers quando tingiu de tinto um vinho branco. Muitos descreveram o vinho incorretamente apenas pela influência de sua cor, o que prova que expectativas alteram a percepção das pessoas.

“Tendo nariz e boca que funcionem, você pode se tornar um expert em vinhos. Comece. Você perceberá uma melhora em poucas horas. E mesmo se você não quiser se tornar um super expert, ser capaz de descrever ou entender a descrição de um vinho ajuda muito. Além do que, é muito divertido!”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 × um =