Dicas de harmonização de vinhos para todas as ocasiões

Tempo de leitura: 4 minutos

Um dos maiores prazeres relacionados com o consumo de vinho é aprender como fazer a harmonização dessa bebida com nossos alimentos e pratos preferidos. Uma boa combinação entre bebida e comida pode transformar a experiência de saborear uma boa refeição, por valorizar os sabores e aromas disponíveis nessas deliciosas misturas.

Sabemos que, até mesmo para os consumidores assíduos de vinho, a tarefa de harmonização da bebida pode ser um pouco difícil – afinal, são muitas as características para se observar nas bebidas e nos alimentos. Mas, com alguns conhecimentos básicos, é possível fazer bonito na hora de combinar esses cheiros e sabores.

Que tal conferir algumas dicas de harmonização de vinhos que você pode usar em todas as ocasiões?

Harmonizações tradicionais para cada estilo de vinho

Para aprender a harmonizar um bom vinho é preciso, primeiramente, começar do conhecimento básico – isto é, saber quais estilos de vinho tradicionalmente combinam com o quê. Esse conhecimento simples já vai lhe abrir muitas portas no ambiente da harmonização e garantir sucesso na hora de combinar pratos e bebidas.

Por isso, sempre tenha em mente que:

  • Vinhos brancos e rosés tradicionalmente harmonizam bem com peixes, aves, saladas, massas ao molho branco e queijos de massa mole;
  • Vinhos tintos são ideais para acompanhar carnes vermelhas, queijos de massa dura e massas ao molho vermelho;
  • Espumantes e frisantes são perfeitos para harmonizar com saladas, petiscos e, em alguns casos, sobremesas;
  • Vinhos doces acompanham bem sobremesas em geral e queijos azuis.

É claro que esses conceitos básicos podem ser aprofundados de acordo com outras características da bebida e dos alimentos, mas já conhecê-los é um excelente começo para acertar na combinação.

Informações básicas para uma harmonização por afinidade

Para ir além na harmonização de vinhos, é preciso conhecer um pouco mais sobre alguns conceitos de gastronomia e alimentação, que garantem a combinação de sabores e aromas por suas afinidades.

Esses conceitos podem lhe fornecer informações suficientes para fazer uma combinação mais perfeita entre uma determinada bebida e um prato, realçando ainda mais seus sabores e aromas.

Ao fazer uma harmonização, portanto, lembre-se das seguintes informações:

  • É fácil combinar vinhos com pratos salgados, que deixam a bebida mais agradável e menos amargo para o paladar. Para pratos doces, entretanto, é preciso cuidado, já que eles podem deixar a bebida mais amarga e ácida. Por isso, sempre combine pratos doces com vinhos com teor mais alto de doçura;
  • Pratos ácidos vão muito bem com vinhos igualmente ácidos, para que suas características realcem a experiência ao saborear a comida e a bebida. Nesses casos, os vinhos ficam mais doces e frutados quando degustados;
  • Pratos muito picantes devem ser combinados com vinhos de baixo teor alcoólico, mais frutados e com poucos taninos. O álcool pode tornar a sensação de picância mais alta e essa situação prejudicar a doçura e delicadeza da bebida;
  • Pratos amargos não devem ser combinados com vinhos igualmente amargos, já que essa soma pode prejudicar a palatabilidade da refeição. Escolha vinhos com pouco tanino ou brancos para harmonizar nesses casos;
  • Pratos gordurosos vão bem com vinhos de acidez elevada, já que essa característica melhora o sabor da gordura e deixa o prato mais agradável. Vale dizer que a gordura também deixa o vinho menos seco e mais saboroso.

Invista em estilos de harmonização diferentes

Outra dica importante na hora de fazer a harmonização de seu vinho com um prato, é investir em técnicas de combinação que fogem um pouco dos conceitos que conhecemos anteriormente:

Harmonização por contraste

Essa técnica de harmonização se baseia em um conceito simples de que características totalmente diferentes podem, de alguma maneira, se completar quando combinadas. Apesar de ser uma técnica não tão segura quanto as outras apresentadas nesse artigo, ela é a que mais costuma surpreender e agradar os paladares mais exigentes.

Bons exemplos de harmonização por contraste são combinar pratos gordurosos e picantes com vinhos ácidos ou pratos salgados com vinhos doces. Nesse caso, é preciso ter coragem de se arriscar para descobrir sabores complementares e combinações pouco tradicionais que funcionam muito bem.

Harmonização por região

A harmonização por região consiste na combinação de pratos e vinhos que tem origem em uma mesma região culinária. Por isso, vinhos italianos, por exemplo, sempre serão bem combinados com pratos tipicamente italianos. O mesmo serve para os vinhos franceses que combinam com as receitas tradicionais da França, os espanhóis com os pratos de seu país e muitos outros vinhos de outras regiões vinícolas do mundo e seus pratos típicos.

Essas são combinações que raramente dão errado!

Para harmonizar um bom vinho com um bom prato é, preciso, além de conhecer esses conceitos básicos, ter coragem para provar e se arriscar nas combinações. Afinal, só aprendemos quando realmente vivemos a experiência, não é mesmo?

Qual é a sua combinação de vinho e pratos favorita? Conte para a gente um pouco de suas experiências!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *